Empresários de ônibus temem concorrência do Uber



A migração de aplicativos que intermedeiam serviços de transporte individual privado para a seara do transporte público coletivo vem preocupando representantes de empresas de ônibus urbanos de todo o Brasil. A ameaça é de que o equilíbrio financeiro do setor, mantido a partir de especificidades previstas na Constituição, seja afetado pela concorrência gerada pelos softwares. O tema veio à tona no Seminário Nacional NTU, encerrado nesta quarta-feira (24), em Brasília.


Conforme agências internacionais, já há cidades nos Estados Unidos onde os governos locais fecharam parcerias com empresas como a Uber, que oferece transporte remunerado de passageiros. Por lá, a ideia é testar o serviço em linhas deficitárias ou complementares. No Brasil, ainda não chega a tanto, mas a preocupação já existe quanto à possibilidade de que veículos utilitários passem a compor frotas de transporte sob demanda.


“Na década de 90, tivemos a invasão de Kombis e micro-ônibus nas cidades. Com políticas públicas, conseguiu-se acabar com esses serviços irregulares. Agora, surge um inimigo perigoso por meio dos serviços ofertados por esses aplicativos”, afirma o presidente executivo da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Otávio Cunha.


O gestor explica que a lógica das empresas de tecnologia que atuam no ramo é operar itinerários e em horários que julgarem mais rentáveis, diferentemente do caráter de universalidade definido para o transporte público coletivo pela Constituição. “Imagine que, se eu for investidor e comprar uma frota de vans ou de micro-ônibus, vou operar somente onde houver linhas em que eu possa ganhar o máximo possível. É o tipo de ambiente que não combina com o transporte público coletivo, que tem preços módicos, regularidade, opera em períodos de baixa demanda e com linhas deficitárias. Essas características fazem com que o transporte público não admita concorrência e seja exceção a certas regras do mercado”, responde Cunha, sobre críticas a uma suposta reserva de mercado para empresas de ônibus. [...]


Fonte: Portal FolhaPE


Link com o texto na íntegra: http://www.folhape.com.br/cotidiano/2016/8/empresarios-de-onibus-temem-concorrencia-do-uber-0462.html


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo